sexta-feira, 23 de novembro de 2012

"A Culpa é Toda Sua"

Antes mesmo de pensar em ter filhos, ouvia todo mundo falar que as mães são responsáveis por todos os comportamentos e pelo caráter do seu filho. O engraçado é que a maioria que dizia e ainda diz isso, não tem nenhum.
Depois do meu segundo filho é que percebo como crianças são diferentes e como nós não mandamos nos seus instintos. Estes que vem desde muito antes do nascimento, personalidade é algo formado, caráter a gente ajuda a formar, mostra caminhos para serem seguidos com dignidade e respeito. Além do que é exatamente isso que falta nas pessoas "respeito", vem de berço, vem da educação de família.
Pois bem, eu achava que tudo de errado de Clara era culpa minha. Cólicas, choro demais, apego, dificuldade em dormir, não gostar de comidas etc.
Quando meu pequeno rei nasceu, além de eu já estar mais madura em cuidar de um novo filho, percebi como eles são diferentes. Arthur com quase 10 meses já se intimida com a palavra "não!" e para oque está fazendo e fica olhando pra mim, com Clara esse "não"era quase um diálogo constante diariamente, ela gostava de ver meus limites, de testar os dela, de ver até onde ela poderia ir quando eu cansasse. Foi uma fase de loucura minha, ela responde quando se sente ameaçada, mas não responde maldade nem atrevidamente, mas responde questionando, sem muito medo, responde com perguntas, "porque nao? Porque isso? porque você não?"etc. Por um lado é bom, ela vai aprendendo a não aceitar tudo, dificilmente será enganada, ela é muito esperta. Mas cansa pra mãe né? rsrs
Amamentação dos dois foi dois extremos, pós-parto também, assim como gravidez. TUDO foi difeferente.
 Algo que sempre falo pra uma futura mamãe; "seu filho não é igual aos de revistas", ou seja, tudo pode acontecer, nenhum bebê é igual ao outro, a única regra que vale é SEJA PACIENTE que no fim tudo vai dar certo.


"O bebê tá com cólica, a culpa é do que você comeu; ele não dorme porque você não sabe fazê-lo dormir; ele é apegado a você porque você coloca manha etc e etc."
Tudo a culpa é nossa. Não mesmo!!!! As pessoas esquecem que eles são bebês mas possuem sentimentos, medos, vontades e preferências de acordo com a sua capacidade de percepção do mundo! Não são robôzinhos!
Ahhh..o lance da cólica, eu faço sempre questão de falar que eles terão essas malditas até o terceiro mês e a culpa não é da mãe. Não tem como fugir. Uns sentem mais, outros menos, uns são mais sensíveis outros não.
A única culpa, que é só metade ainda assim, é na hora do sono, aí eu vi que o erro foi em parte meu com Clara. Sempre ninei, sempre a fiz dormir no colo, no balanço. Péssima, péssima ideia!! É lindo, é maravilhoso, é gostoso e é mais fácil, mas na hora de colocar no berço...lá vem o olhão e o choro! E isso só acaba aos 3 anos de idade...kkkkkk E aí quem pagou "o pato"foi ARthur, nunca dormiu no colo, desde a maternidade vivia no berço, tanto que demorou a sentar, mas em compensação, dorme maravilhosamente bem e adormece sozinho, tem uma rotina melhor. Mas disse em parte foi culpa minha. Porque Arthur tem um temperamento melhor, ele aceita melhor as regras. Com Clara teria sido mais difícil mesmo sem o balanço.  Viu? A culpa não é nossa.
Xêro!!!!

6 comentários:

Priscila Sant'Anna: disse...

Jú, que ótimo post!
Adorei cada palavra que tu escreveste principalmente agora que tô na espera do segundinho (a).
Ainda essa semana minha mãe comentou comigo: "será que esse bebê vai ser calminho como a Bia?"..e eu disse exatamente isso: "nenhum bebê é igual ao outro, né?"..o que não quer dizer que ele não seja calmo como a Bia.
Essa coisa da culpa também é meio um tabu..a culpa não é da Mãe não Jú, a culpa é do Freud que um dia disse que toda a culpa é da mãe...hehehehehe
mas brincadeiras à parte, cada criança tem uma personalidade, comportamento, e mesmo a gente ensinando nossos padrões, regras, educando, em alguns momentos elas vão mostrar a essência delas, e isso que é bom, concordo contigo!
E é um ótimo post pra gente debater o tema, Jú!
Beijos
Pri

Nathália Martins disse...

Também amei o post Ju!
Como mãe de duas figurinhas completamente diferentes posso opinar. Ana a mais velha sempre obedeceu bem, agora a Julinha a segundinha é DEMAIS, tenho que colocar pra pensar umas cinco vezes ao dia... e essas mesmas vezes tenho a paciência testada, e concordo contigo em todos os casos precisamos ter MUITA paciência. Quando Julinha era menor eu brincava que éramos "os sem rotina"... lia posts com rotinas todas certinhas e me deprimia, mas depois desencanei, porque nenhum bebe é igual, mas todos eles são especiais e em processo de aperfeiçoamento por nós na difícil e gratificante tarefa de educar.

Beijoooooooooooooooooo

Diário da mãe e da filha disse...

Ju, é verdade... Essas pessoas não tem filhos e fica dando palpites para as mães, e nós que somos mães sabemos que não dá para mandar no instinto deles, né?

Ah eu vivo repetindo isso de ser paciente para mim mesmo no dia a dia, se não agente não dá conta, né?

Beijos

Patricia Charleaux disse...

Adorei o post, é verdade as pessoas falam demais e na maioria das vezes nem filhos tem, lembro-me da 2ª pediatra do João" horroroza" quem falava que o João não andava ,nem se alimentava direito porque eu o mimava muito , mas na 3ª opinião descobrimos que ele tinha uma sequela do nascimento e que sem fisioterapia talvez nunca andásse e ficaria até atrasado mentalmente, mas o que me dava forças pra lutar e correr atrás de outras opiniões era meu instinto de mãe. Mãe é a melhor médica que existe sempre digo isso. Depois vinha a fisioterapeuta que dava palpites na criação do João e ela nem filho tinha, fui me enxendo. Vc falou certo, cada bebê já tem sua personalidade , sentimentos, ninguém pode achar que os pais tem culpa de td, mas só digo que pais presentes sim fazem a diferença, as vezes até fazem com que as pessoas tenham uma certa inveja de nós e acabe falando que mimamos muito nossos filhos. Pasciência sim , porque cada tempo é uma fase e td passa!!! Bjs

Ju Dalzoto disse...

Juju!!!
Obrigada pelo convite! Bom poder seguir acompanhando vcs!!!

Sabe, eu ainda faço Miguel dormir no colo, apesar dos pesares! Acho que EU NÃO SEI fazer bebê dormir de outro jeito, mesmo ele pensando quase 9kg. Tem dias que ele mesmo "pede" pra ir pro berço, aí eu coloco, hehehe

A gente vai aprendendo sempre e como o segundo filho ensina, né?! Tenho aprendido cada coisa com o Mi...

Beijocas pra vcs!
JU

Giovanna Cresceu!!! disse...

E como são diferentes...rs.
Gi era super calma, mas Alice é do balacobaco...kkkk.
Engraçado que vários "erros" que cometi com a Gi (ela não dormir sozinha, por exemplo) eu dizia que não cometeria com a Lili, mas fiz igualzinho. Vai do meu instinto de mãe tb, né? Uma mãe que não conseguiu ensinar nem a primeira filha, nem a segunda a dormirem sozinhas no berço...rs.
Mas vou levando pq passa rápido demais...
Bjs.