quarta-feira, 28 de julho de 2010

A Menina que Roubava Livros

**Deixar aqui uma dica ótima para quem passa o dia na Internet e quer informações diversas; Tem um canal 24 horas no ar através da internet; Muito interessante e com mil assuntos: http://www.alltv.com.br/ . E um programa muito legal, que a gente se sente em casa é o " Lá Em Casa", da blogueira Vanessa Caubianco, mãe de gêmeos!! **
++++++++++++++++++++++++++++

Pra quem já notou, fiz uma listinha nova aí do lado, onde colocarei os livros recentes que passaram pelos meus olhos.
Estive um tempo longe deles entre nascimento de Clara e cuidando dela e senti uma falta danada de ler, uma das coisas que mais fiz na gravidez, um dos melhores passatempos que existem (sem falar do biscoito!!!).

Aí que li "A Cabana"e adorei, é um livro para guardar com carinho e lembrar dos ensinamentos e do cheiro suave e amoroso das palavras. Li em um dia. Foi mágico.
Li depois "Criando Meninas" e confesso que ainda não li todo...Vez por outra volto para ler mais um pouco. E veio o que ganhei no sorteio aqui no blog "O Sono do Meu Bebê ", com dicas e leituras que nos faz desacelerar e aproveitar mais as fases dos pequeninos; tudo há explicação justa - ainda tenho que escrever sobre ele, mas hoje o assunto é de outro.

O assunto de hoje é sobre a história de uma menininha, que aos meus olhos cresce muito, na época Hitlerista. Era amante dos livros mesmo sem saber ler aos 10 anos, e foi seu pai amoroso adotivo quem a ensinou. E juntando o amor pelos livros, pelas palavras e a falta de dinheiro, tornou-se uma excelente ladra. A história mexeu comigo, acho que é poruqe é escrita por nada mais nada menos do que a Morte..pois é, dona Morte nos conta essa história triste, de luta, de poucas risadas narrando com muitas cores, apesar de que aos meus olhos tudo era preto e branco, talvez pela tristeza de tanto sofrimento e desgraça que grudaram nas vidas daquelas pessoas. E essa menina alemã, era atípica: Ela amou um judeu verdadeiramente. Aliás, a familia adotiva dela era atípica: Eles "adotaram"no porão de sua casa um judeu. E oque mais me encanta além da forma desse amor, é o desenvolver da história. A gente se apaixona pelos personagens. Estou com saudades de Liesel. Ela me encantou. Corajosa, brava, magricela e amante dos livros; era a menina que roubava livros  moradadora da 33 da Rua Himmel em Mulching.

Eu indico muito esse livro, mas já aviso:
Tenha dias disponíveis para ler (Eu li em Uma Semana); pode ser cansativo pois é um livro riquíssimo em detalhes, de uma leitura difícil e densa. É um livro intenso. Você vai ler cerrtas coisas e terá que reler depois. E ainda Quero depois ler novamente.
São muitos fatos, muitos sentimentos, muitas cores e muitos personagens apaixonantes, não porque são românticos - de romântico o livro não tem nada; é época nazista - mas por serem pessoas intensas.
E a Dona Morte é tão amiga! Ela não se acha simpática, mas é...Eu achei. rsrsrs
Mas não quero discutir isso com ela pessoalmente..rsrs

Foi a primeira vez que estive mergulhada nas profundezas de uma mistura de tristeza e ódio que sobrevoavam o céu da Alemanha naquela época.
Uma passagem marcante do livro durante um desfile de judeus pela Rua Himmel:

"Os Judeus Que Alí Passavam, Não Ansiavam Mais Por Ajudam Pois Eles Sabiam que Não Existia Mais Isso; Eles Só Queriam Uma Explicação Para Tanta Humilhação."

Fica uma dica de uma leitura interessante, rica, que a todo momento tem uma explosão de informações e palavras novas - tive que ter um dicionário ao lado..rsrs - e que deixa saudades.

 "Quando a Morte Conta Uma História, Você Deve Parar Pra Ouvir".

9 comentários:

Devaneios de Mulher disse...

Oi amiga.
Ótimas dicas, estou lendo a Cabana e estou gostando bastante também!
Como você me perguntou, fiz uma cirurgia desabsortiva.Ou seja, vou continuar ingerindo alimentos mas, absorvirei bem menos calorias!
Espero que até Dezembro eu tenha atingigo minha meta!

Beijo

Tati

Milka disse...

Eu tbem li esse livro e gostei muito.
bjus

Micheli disse...

Ótima dica!
Eu ainda estou com dificuldade para ler livros inteiros desde que a Clara nasceu. Eu sempre li muito a vida toda! Aff! Faz falta.
Beijos.

Micheli disse...

Ótima dica!
Eu ainda estou com dificuldade para ler livros inteiros desde que a Clara nasceu. Eu sempre li muito a vida toda! Aff! Faz falta.
Beijos.

Jacke Gense disse...

Oi Ju... eu li este livro há bastane tempo.. confesso que o começo ficou enroscado... achei o início do livro bem cansativo.. mas depois a estória desenrolou e eu fiquei emocionada com o livro!!
realmente vale a pena!!
adorei o blog.. tbém sou mãe de uma Clara (de um Pedro e de um Lucas..rs)

bjs

Dri Eidt disse...

Oie querida!
Estou querendo super ler esse livro.... Obrigada pela dica.
Beijinhos

Bella Melo disse...

Ju, eu já li "A cabana" é ótimo, muito lindo, em alguns momentos triste, mas a mensagem que passa de um valor inestimável.
Sou suspeita para falar de "A menina que robava livros", já faz algum tempo que o li e ele é simplesmete demais.

Beijinhos
Bella Melo

Juliana Melos disse...

oljha amioga sou uma negação para ler to comum livro que meu marido me deu para ler desde o dia das mães e não terminei ainda =(
mas quero ver se começo a me incentivar rs
bjs

Vanessa Caubianco disse...

Ai, Ju, que eu tô BEM me achando, porque vc fez até um post no seu blog sobre o meu programa, amiga...
Obrigada e que bom que está gostando, o objetivo é falar de mãe pra mãe mesmo.
Sabe um livro que eu li, fininho, facinho e incrível (nessa linha do A Menina...)? Chama-se O Menino do Pijama Listrado. Se for ler, separe umas 5 caixas de lenço!!
bjbj pra vcs