quinta-feira, 8 de outubro de 2009

5ª Semana de Filme e uma música

Dri, minha querida amiga....te desejo toda a força do mundo, receba toda minha energia boa...!Beijos!

Hoje tô desanimada, triste e sem vontade de nada.
Mas vou deixar meu filme da semana e voltarei domingo pra dar um tchau antes de viajar!

**
Irmãos de Fé

Eu não gosto de filmes religiosos pois eles rotulam demais certas coisas e acabam por influenciar em tudo. Porém, esse filme que assisti é belíssimo, lindo e muito emocionante. Ele narra a história de Paulo, o apóstolo do amor. Ele fala coisas fantásticas sobre esse sentimento e nos faz perceber que o AMOR vai muito além da carne, dos prazeres humanos; é um sentimento que caminha junto com a compaixão, o perdão e a caridade. O amor que falta em muita gente, praticamente no mundo inteiro, numa realidade em que se vive apenas de aparência e dinheiro. Lindo filme! Sem falar da atuação quase que perfeita de Thiago Lacerda.
"Ainda que eu falasse todas as línguas dos homens, e mesmo a língua dos anjos, se não tivesse caridade não seria senão como um bronze sonante, e um ´címbalo retumbante; e quando eu tivesse o dom da profecia, penetrasse todos os mistérios e tivesse uma perfeita ciência de todas as coisas; quando tivesse ainda toda a fé possível até transportar montanhas, se não tivesse amor,eu nada seria.
A caridade é paciente, é doce e benfazeja; não é invejosa, não é temerária nem precipitada....Tudo suporta, tudo crê, tudo espera e tudo sofre. " (São Paulo, uma pequena parte da Epístola aos coríntios, 13:1-7,13 - retirada do livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo")
**
E nesse clima de Amor, vou deixar também uma música de Renato Russo, Monte Castelo.
Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
É só o amor, é só o amor.
Que conhece o que é verdade.
O amor é bom, não quer o mal.
Não sente inveja ou se envaidece.
O amor é o fogo que arde sem se ver.
É ferida que dói e não se sente.
É um contentamento descontente.
É dor que desatina sem doer.
Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria.
É um não querer mais que bem querer.
É solitário andar por entre a gente.
É um não contentar-se de contente.
É cuidar que se ganha em se perder.
É um estar-se preso por vontade.
É servir a quem vence, o vencedor;
É um ter com quem nos mata a lealdade.
Tão contrário a si é o mesmo amor.
Estou acordado e todos dormem todos dormem todos dormem.
Agora vejo em parte. Mas então veremos face a face.
É só o amor, é só o amor.
Que conhece o que é verdade.
Ainda que eu falasse a língua dos homens.
E falasse a língua do anjos, sem amor eu nada seria.

7 comentários:

Devaneios de Mulher disse...

Ai amiga, também to assim por conta da notícia que li no blog da Dri.
Sabe que nem almoçar eu consegui, pois to triste e morrendo de vontade dar um abraço e conforta-la.
Ai ai.

Beijo

Tati

Manu disse...

OI JU!!!

Até que enfim consegui dar um pulinho aqui e dizer que estava com saudades. E tb que amo essa música mas esse filme eu ainda não assisti.

beijossssssssssssssssssssssss

Pâmella disse...

Lindo filme e linda música... Hoje tb estou mal pela Dri... não consigo parar de pensar nela... Que Deus a conforte...

Deni Brito disse...

Qual Dri????
O que aconteceu???
É a Adriana na Giulia? :O


Ain, senhor! Tô preocupada...

Dany disse...

O que aconteceu?
Também fiquei preocupada.
beijos e ânimo

Kátia Ruivo disse...

Ainda não vi o filme, mas é uma boa pedida...quanto à essa música do Renato Russo, não preciso nem comentar, perfeita!
bjs

Bia disse...

Oi Juu.. ainda não vi esse filme, mas a música é demais!! Amoo Legião!! =)

Beijoss