sexta-feira, 10 de julho de 2009

Afinal, Filhos Dão Trabalho?


Eita que esse assunto tá bombando no mundo blogueiro ultimamente!!rsrsrsrs
Acho que esse espaço dos blogs, nos dá a liberdade de nos expressar e o direito de sermos no mínimo respeitadas por sentir emoções muitas vezes polêmicas.
E então? Tenho certeza de que cada uma aqui já teve a resposta na ponta de língua assim que leu o título. Mas sabe, a resposta correta seria "cada caso é um caso". Filhos não são iguais, mães muito menos.
O que acontece na verdade é a sobre-carga na vida da mulher assim que o filho nasce. Não adianta dizer que você continua perfeitamente em harmonia e equilibrio quando encontra-se numa situação abaixo:
Você está fazendo o almoço nas pressas, depois de ter acabado de varrer, passar pano na casa. Aí o bebê começa a chorar desesperadamente. Você pára tudo oque está fazendo e vai lá acudi-lo. Ele não pára, o almoço tá queimando, ele só quer seu colo, não está com fome, nem sede, nem sujo, nem nada; ele apenas quer seu colo. Mas vocÊ tem que terminar o almoço, depois almoçar, lavar os pratos e panelas, arrumar a cozinha, dar almoço pro seu bebê, dar banho............ cansou? É só uma parte. Imagina você passando roupa e o bebê preso na barra da sua saia?? Imagina você acaba de preparar um pratão de almoço delicioso e o acaba delimpar o chão. Aí vai toda orgulhosa e feliz dar comida pro filhote e...Ele joga o prato inteiro no chão e faz birra! Eu duvido que alguém diga "ô filho que lindo! Tudo isso faz parte do seu crescimento, isso, joga tudo no chão de novo, amei!" Claro que não! VocÊ quer ter um treco, quer sair correndo pela rua, gritar, chorar e arrancar os cabelos! Mas tudo isso, faz parte. Tudo isso é ser mãe, não reclame, apenas tenha seu momento de loucura e volte ao normal, pois vai acontecer de novo até que ele aprenda comer direitinho.
Eu posso escrever isso pois faz parte do meu dia. Portanto, no meu caso, a CLara me dá trabalho quando não quer ficar só, só quer meu braço, só o meu, quando faz birra e cai no chão até que que páre tudo e dê atenção pra ela. Passei meses sem tomar banho durante o dia porque era só eu entrar no banheiro e ela caía num choro e eu com medo que os vizinhos chamassem a polícia, e mesmo assim ouvia críticas " voce deixa ela chorar? Ouu tadinha..é só um bebê.." ou " deixa ela chorar, se não você vai botar manha" (?????)Só tomava banho quando meu marido chegava, mesmo assim, ela ainda reclamava porque não era meu colo.
Gente, não é que ter um filho dê trabalho nem que dê arrependimento, apesar de já ter ouvidos absurdos como "não deveria ter sido mãe agora" , " queria que ele não existisse" (sem comentários) mas é que é muita coisa pra fazer junto e você não está bem emocionalmente, ninguém lhe ajuda, não há quem pedir ajuda e tudo isso é dinâmico; não pára. O pós parto já é complicado, os hormônios não ajudam, as pessoas a volta não ajudam, pelo contrário, só criticam e a comparam com tal mãe, tal fulana. O negócio é ter paciência, um dia elas param e você torna-se uma mãe essencial e o ponto de referência bom para as outras.

Jamais, jamais, pediria pra voltar e não ter engravidado! Clara é meu diamante, minha vida, meu tesouro, sem ela não conseguiria viver. Eu quis muito ter um filho, minha gravidez foi maravihosa, e sei que faço de tudo pra tentar ser boa mãe. Tanto que abdiquei da minha vida esse tempo todo até o início do próximo ano (ela vai pra escolinha) para me dedicar inteiramente à ela. É delicioso acompanhar tudo, não quero outra pessoa dando banho nela, dando a comida, dando carinho, sou ciumenta demais mesmo, e tenho certeza que meus cuidados são os melhores, assim como toda mãe pro seu filho. Lógico que se eu tivesse que trabalhar, seria outra história, iria pra uma escolinha, babá não confio, não tem quem me faça. Mas enquanto eu puder, serei mãe protetora sim. Afinal, não tenho família pra ajudar com o dia-a-dia.
Salão de beleza pode esperar, até porque nunca fui de frequentá-lo. Saídas sinto falta mesmo, mas quando vamos jantar ou almoçar fora, temos o prazer em levá-la com a gente e é maravilhoso sempre. Claro que sinto falta de sair com o maridão, mas um dia vai chegar nossa vez de novo. Mas não critico quem sinta muita falta; cada um é diferente, é difícil você dizer tudo isso pra uma epssoa que tinha uma vida super hiper mega agitada. Porém, tudo muda mesmo e cabe a gente, aceitar e nos apaixonar pela nova vida cheia de novidades.
Antes de ter Clarinha, achava que seria muito fácil cuidar dela, achava que ela choraria pouco, seria tranquila e pararia de chorar quando eu desse algo. Mas não é assim. Também achava que poderia dormir bem, mas desde que ela nasceu, eu dormi acho que uns 2 noites inteiras, o resto sempre acordava, mesmo que ela dormisse a noite toda, ia lá pra ver se estava tudo bem, se estava coberta. Isso é ser mãe. Mãe não é só aquela que diz "amo o trabalho que meu filho dá". De forma alguma! Mãe é aquela que está alí, sofrendo junto, aprendendo junto, chorando junto e ao mesmo tempo enxugando as lágrimas; é se desesperar com o novo e ao mesmo tempo amá-lo; é confessar que sente raiva, tristeza, desespero, solidão, depressão, mas que junto de tudo isso, sente o amor incondicional de ter um filho! Ser mãe, é sentir todos os sentimentos do mundo!
Eu não vou iludir pras mulheres que pensam em ter um filho e acham que vai saber ser perfeita, porque não é assim! A gente aprende o caminho da perfeição porque sempre estamos correndo atrás de ser uma execente, perfeita mãe. Assim como não é simples amamentar, não é só colocar o peito na boca do bebê que o leite sai. Tem todo um processo. Clara mama até hoje, pela manhã quando acorda, e dou graças a Deus de ter podido alimentá-la do meu leite esse tempo todo e de ter amamentado exclusicvamente os 6 meses.
A maternidade nos dá idéia de só flores, mas se pensarmos assim, estaremos nos iludindo e não nos preparando pra ter um filho.
E preparar inclui: saber que vai acordar de madrugada sempre; não vai dormir a hora que estiver cansada ou com sono, a não ser que alguém faça seu trabalho com o bebê; saber que vai deixar de sair sim, pois um bebê requer seu tempo, seu carinho, seus cuidados; muitos de seus amigos se afastarão pois tem outra vida; mas os melhores permanecerão. Adiar viagens porque seu filhote ficou dodói, mas ele em primeiro lugar. Mas tudo isso e mais o resto, é compensado com um sorriso, com uma saúde perfeita, com um abraço, com um amor de um filho.
Por isso minhas flores, não há vergonha alguma ou erro algum em dizer que há dificuldades em criar um filho, principalmente sozinha. Não há vergonha alguma em pedir ajuda num momento de desespero diante do choro do seu filhote! Mas acreditem, nossas vidas mudam, (completamente pra melhor) nossa rotina muda, nossa prioridade TEM que mudar. Primeiro eles, depois a gente. O que são os 2 primeiros anos de vida do nosso filho, pro resto de nossas vidas? Então não há problema em abdicar de nossas vidas por causa do maior motivo de estarmos vivas: nosso presente divino! E é aquela velha frase.... "Quando nasce um filho, nasce uma mãe".


Beijos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


*Hoje seria o tema de "Os Outros 3 Primeiros Meses" Mas achei esse mais adequado!

16 comentários:

Adriana disse...

Filhos dão trabalho sim, e como!! mas eu passaria pelo triplo desse trabalho mil vezes. Não trocaria essa trabalheira toda por absolutamente NADA nesse mundo

bjs flor, bom finde

Adriana disse...

Ah...até hoje pra tomar banho durante o dia eu coloco ela na cadeirinha na porta do banheiro, me olhando....heheheheh

Helga - Mamãe da Manu disse...

Pois é Ju..é assim que eu penso...dá trabalho, cansa..claro que sim..Mas meu Deus do céu existe algo melhor que aquele sorriso? Eu levo muito sorte com a Manu, ela não teve cólicas e isso ajudou muito..não é chorona..não ficou doente graças a Deus..mas cansa cuidar dela..Nós saimos de casa 7:00 e só voltamos em torno de 19:00/19:30..depois que chego entrego ela pro pai e vou direto pro fogão, muitas vezes sem nem trocar de roupa..enquanto a comida esta cozinhando um braço está alí e o outro dando banho nela, depois do banho vamos para o tanque..muitas vezes me pego indo tomar banho 23:00/0:00 e quando eu deito achando que vou dormir ela acorda..mas se eu me enfurecer com ela vai adiantar? vai adiantar brigar, chingar...? Não vai né...então o negocio é manter a calma..e sem hipocresia..eu amo demais minha pretinha...não posso reclamar e não posso me imaginar viver um dia sem ela..quer coisa melhor que saber que ela é perfeita, saudável...meus caprixos vão ficar pra depois..eu tbm abdico de mim por ela..é aquela velha história..mãe que é mãe fica sem comer pra alimentar seu filho..imagina então ficar sem ir ao salão por ela..isso é mole..mole..Temos que respeitar mesmo quem não pensa da mesma forma, mas tbm temos que ser respeitadas nas nossas opiniões..eu sofro, me dói ver minha pequenininha na porta da casa da minha mãe me olhando ir embora..ai como eu queria ficar alí com ela o dia inteiro..sei que tenho que trabalhar, mesmo ganhando a conta aqui, sei que mais cedo ou mais tarde o seguro vai acabar e eu vou ter q procurar outro, mas a minha vontade era de ser a verdadeira dona de casa...bjs flor..

Retrato de Mulher disse...

kkkkk Trabalho ?!? Que isso..., trabalho nenhum kkkkk ... !!!

Só quem é mãe é capaz de entender tudo isso, e não adianta tentar explicar para um mulher sem filho ou para uma aspirante a mãe, pois não tem como assimilar como ser mãe pode ser uma coisa tão trabalhosa e ao mesmo tempo tão prazerosa.
É coisa de doida mesmo ! Mas de doidas absurdamente felizes com a maternidade !
Amei a foto !

Bjs

Dany morais disse...

flor,adorei o post.
as vezes fico pensando sera que todas me entenderam???
ja vi, pessoas me criticando em blog de outras pessoas.
mais adorei o que voce escreveu, serve para todas que le, e ve que nao sou so eu que sou "ma"kkkkkk é o termo que ouvi uma mulher falar.
claro, ela nao é mae!!
quero te agradecer por este post!
bjim gata e vc sumiu uai!

Camila Marinho disse...

Adorei o post. Li o da Danny também e acho que ser mãe é isso aí uai...Tem o lado cansativo, mas o positivo supera e muito! Vou me inspirar e ainda fazer um post sobre isso...

Bjs

Eliane disse...

Ser mãe foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida! Amo meu filho demais....!!! Se meu marido topasse eu teria o segundo! hehehe! Mas, não é um mar de rosas! Dá trabalho sim, tem dias que a gente fica exausta! A vida social desacelera trasdicamente... Mas é tudo de bom né! Também, não trocaria essa vida por nenhuma outra!
Beijos,
Eliane

Despertar de Sensações disse...

serei sua nova seguidora...nao deu tempo de ler tudo, mas me identifiquei com vc...
fica c deus

Mãe aprendiz disse...

Olá.Sou nova por aqui. Adorei seu artigo, muito bem colocado, e acho que ser mãe e isso; ter trabalho sim, mas fazer tudo com muito amor e dedicação.Tento fazer isso ao meu pequeno de quase 5 meses,, ta cansativo acordar de 2 em duas horas,mas seu sorriso compensa tudo.... rss Beijosssss

Despertar de Sensações disse...

obrigada pela visita!!! e lendo seus antigos posts hj um pouquinho (sobrou um tempinho de 5 min livre pela manha hehe),li "alguns dias chuuvosos em mim"...ai como vc escreve bem... rs
e realmente me identifiquei c vc
=) aos poucos vou te conhecendo... e qq duvida corro p cah! bjus e fica c deus

Nanda disse...

Oi, Ju. Adorei esse texto (como adoro tudo que vc escreve...de verdade!)
Eu tb tô adorando ser mãe, apesar da trabalheira. Sempre digo pras minhas amigas que ser mãe é ótimo, nunca amei tanto alguém como amo a Gi, mas conto que tudo muda e a gente abre mão de um monte de coisa. Eu adorei ter saído do trabalho e ter dedicado atenção exclusiva a Gi. O que mais me irrita são os palpites. Uma amiga acha um absurdo a gente sair com a Gi pra bares, festas de adulto e tal. Ela não entende pq eu não saio sozinha com o marido. Poxa, nós temos prazer em sair com ela. Essa minha amiga não entende, pois não tem filhos. Mas um dia ela vai entender...

Bjão.

fashionmamabybru disse...

ooo se da trabalho! afeeee minha vida como era antes nunca mais existira! tudo mudou, pra melhor, nao eh mais facil, mas eh bom demais!

Flor sei que eu ando meio sumida mas voltei!!rs

Amanha vai entrar um promo no meu blog e estou passando para te convidar para participar ok??
Espero vc por la!

Beijos Bru

Taty disse...

Bom diaaaa
passa la no meu blog tem selinho para vc flor
beijinhossss e otima semana!!!!!!

Mãe do Pitoco disse...

Opa, não conhecia seu blog, li este post e amei vc d ecara! hehehehe Parabéns pelo post e pelas posições com relação à maternidade. Um abraço e te espero lá no meu cantinho! Beijos na pequena.

Valquíria disse...

Ju, eu sei disso tudo ai que vc citou, sei a trabalheira que da para criarmos nosso pequenos mas vc acredita que eu e meu marido estamos doidos por outro bebe????

Vamos planejar direitinho, mas ja estamos cogitando a ideia quero uma diferenca de no MAXIMO 3 anos entre eles...ai chego vibrar de tanta emocao so de pensar...hehehe

Beijocas

Val e Gui

Léinha Gabi e Lucas disse...

Jú, Chorei de emoção ao ler seu texto, pois é exatamente como me sinto. Eu aqui com o Luquinha no colo escrevendo com uma mão só não contive minhas lágrimas. Vou guardar com carinho e sempre vou ler para me dar força. Obrigada. Um beijo