segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Procura-se Alguém Chamada Inocência


Está perdida há anos e não sabe como voltar. Era para estar ao lado das crianças e até dos adultos, mas destes o laço já foi cortado há mais tempo. As noites não terminam mais tão cedo e ao invés de encontrá-la mergulhada dentro de livros encantados, histórias fabulosas antes de dormir, anda vagando só e sendo zombada dentro de TVs e computadores.
Não se sabe ao certo quantas casas a Inocência ainda habita, mas vou dizer-lhes que são pouquíssimas e mesmo assim com os pais insistindo em sua permacência. Ela é pura, meiga, carinhosa, fiel, respeitadora e sincera, enche os corações de luz e esperança, mas são poucos os que desfrutam dessa beleza invisível aos olhos.

Cadê as brincadeiras em volta da árvore? Cadê a bola rolando nas ruas e gramas onde crianças costumavam suar e rir transmitindo tanta felicidade de deixar qualquer adulto bobo sorrindo pro nada?! Cadê as brincadeiras de rodas que eram embaladas por músicas e melodias tão delicadas que levavam crianças ao sono por serem tão tranquilas?!As subidas em árvores para apanhar frutas...As bonecas de pano que eram lindas tanto pela simplicidade bela com que era feita como pelo carinho e cuidado na fabricação de quem a fazia, já estão trocadas por bonecas que falam, andam, usam roupa de moda e até usam batom. Nos rios, lagos e praias, onde crianças sujas de areia, exaustas de tanto correrem brincando junto com Inocência agora estão vazios e cheios de crianças com cara de gente grande, brincando de coisas de gente grande e falando coisas de gente grande...
Está perdida ou apenas adormeceu em algum lar onde foi se esconder de tanto chorar por não encontrar mais com quem brincar?

Sensação de infância perdida, medo de confiar, medo de chorar e de enxugar a lágrima do outro, injustiças cometidas, músicas com letras inadequadas, vergonha de se sujar ou de se lambuzar de sorvete, vergonha de pegar na mão do coleguinha, vergonha de abraçar e beijar, dizer o quanto ama...São coisas tão escuras, tão sombrias; e a inocência tem medo do escuro, por isso ela se foi.

Ela espera por alguém que a faça acreditar que ainda vale a pena acreditar em Papai Noel, Coelhinho da Páscoa ou na Fada dos Dentes, precisa urgente de um bom coração que a faça perceber que vale a pena correr atrás de um sonho, mesmo que esse esteja escondido atrás do arco-íris, num pote de ouro. E esse papel tão duro e distante, está em nossas mãos, mamães e papais da futura geração. Não permita que os sonhos se acabem, não permita que a fantasia se desmanche nem que as histórias acabem dentro de livros encantados esquecidos na estante.
Façamos a vida voltar a ser colorida, voltar a ter brincadeiras nas festinhas de aniversários, deixar nossas crianças serem crianças, é uma fase linda e que não volta nunca mais. E uma vez perdida, nunca mais é recuperada. Adulto seremos pro resto de nossas vidas, mas ser criança, a gente só é uma vez, numa única fase; a fase que nos encontramos e convivemos com a inocência, até que deixemos alguém roubá-la de nós.


Juliana Amaral.

4 comentários:

Dany morais disse...

hoje em dia, as crianças brincam no computador,video game...
era tao bom as brincadeiras de roda, batata quente, passa anel kkk
mamaezinha da rua, pular elastico..
era fabuloso!!!!!

Geovanna Albuquerque disse...

Miga amei o presentinho... Ja ta la meu selinho... Brigadao... Bjos!

Luciana Onofre disse...

Há um selo-prêmio para você no Germinando!

http://sementeperegrina.blogspot.com/

Beijos!

Luciana

Cibele disse...

Olá Juliana!
Sou nova no blog, mas já de cara
me senti entendida e em casa
com depoimentos como o seu.
Esse assunto é algo que frequentemente me deixa furiosa
e contrariada, principalmente na
casa de minha sogra.
Sou a favor de brincadeiras saudáveis, naturais, inocentes e
principalmente produtivas. De se sujar no chão, rolar, cair e se machucar por consequência...
Penso não ser do nosso tempo, a culpa por tantas transformções.
Os pais tem condições e podem criar seus filhos de acordo com o que entendem melhor, e se saírão bem, se feitos com muito amor.
Tenho visto, antes mesmo de virar
mãe, como as "novidades" e avanços tecnológicos tem feito mais mal do que bem às crianças.
Acho muito chato e constragedor conversar com algumas delas de uma faixa etária baixa, pois raramente não nos dão respostas afiadas e se acham superiores por
possuirem e usufruirem constantemente internet(orkut, msn), video game e livre acesso a tv e celular, apenas por modismo.Sei que não são todas e
também não sou nenhum tipo de mãe careta ou ignorante; sei que esses recursos podem ser úteis, mas o que está havendo é uma evolução precoce no entendimento das crianças. E muitos pais se orgulham disso. Ter um filho a frente de sua idade. Na verdade, com um comportamento adulto.
Eu torço e oro muito pra que eu possa ter discernimento para agir com minha filha nesse aspecto.
Sonho poder ensinar a ela minhas próprias brincadeiras de criança...brincar com ela e deixar que a vida leve,aos poucos, e por si só, sua infância e inocência.
A pureza, a curiosidade, a surpresa e a humildade de uma criança é o que mais nos encanta, ou deveria ainda ser...
Grande abraço!