quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Alguns Dias Chuvosos em Mim


Durante alguns dias caiu uma tempestade dentro de mim. Era uma chuva forte e de um barulho silencioso insuportável, como se cada pingo doesse. Foi uma nuvem negra que se instalou aqui em cima e não queria mais sair, fazendo com que eu me entregasse a tanta água.
Eram choros sem motivo, tristezas antigas e guardadas vieram à tona, nada estava bom, nada estava bonito. O espelho não me olhava mais e então me sentia invisível em alguns momentos. Via o mundo enorme e eu tão pequena! Sim, eu tive depressão.
Mãe nova+família longe+mil tarefas domésticas+ solidão+bebê= depressão.
Durante a gravidez li muito sobre depressão pós parto e não me imaginaria nunca vivenciando um momento desse, mas não fui preparada, não me preparei.
A gravidez foi a fase mais linda da minha vida, me sentia bem sempre, amava minha barriga mesmo que o espelho me acusasse de gorda, inchada ou nariz de batata; mesmo que percebesse minhas estrias e celulites. Eu estava linda e tudo era perfeito, era meu mundo cor de rosa. Sendo assim, descartei todas as possibilidades de uma depressão, estava bem, feliz, com meu marido e minha filha ainda literalmente grudada em mim, não havia motivos pra tanto choro não é?

Mas ninguém me avisou que seria difícil cuidar de um bebê praticamente sozinha e longe das pessoas que me amam e que eu amo. Ninguém me alertou que as paredes não falam nem que as amizades ficariam mais distantes de mim quando tivesse um nenêm. E como as coisas mudam...mudam mesmo!
E muito menos me disseram que se eu tivesse depressão, seria tão difícil de ser diagnosticado e percebido por alguém! Realmente, ninguém me disse, ninguém percebeu. Primeiro porque eu acho que eu escondia e camurflava sempre com as frases "Tô cansada, com sono..." ou então " Clara não dormiu bem por isso estou assim...". Achava que ninguém teria nada a ver com o que eu sentia, ninguém poderia ajudar porque era tudo tão meu, tão intenso. Também não adiantava ninguém dizer pra reagir, ser forte, voltar a viver pois por mais força que fizesse, não tinha ânimo.

Passar o dia só não me ajudou, Clara chorando de madrugada não me ajudou; fazer mil coisas dentro de casa só piorou. Me sentia cada vez mais sem ânimo, mais indisposta e menos importante no mundo. Por vezes pedi para que acabasse logo com tanta angústia e tristeza e me levasse...Mas aí vinha Clara no meu pensamento e eu chorava por ter pensado aquilo. Pedia perdão pra ela, ela veio tão amada, tão esperada! Agarrava minha filhotinha e chorava e ela na sua inocência olhava pra mim como se sooubesse daquilo tudo e sorria...Era mesmo! Ria muito, me desmanchava e logo eu estava abastecida, mas até quando? Por pouco tempo. Bastava um pensamento, uma mágoa, uma louça a mais. Bastava me lembrar que não queria ser só dona de casa, queria mais, queria terminar minha faculdade e ser alguém a mais. Aquilo parecia não ser o bastante, me deixava diminuída. Estava tão cansada, tão exausta e ainda tinha que levantar umas 5 vezes durante a madrugada pois Clara não dormia direito...Não podia tomar banho demorado,pois Clara chorava...Não podia descansar...
Semanas assim, acho que 2 meses no total. O blog pra mim foi uma luzinha que encontrei para compartilhar tantas emoções entre tantas mães. É tão bom aqui!

Meu marido trabalha muito para nos dar o melhor, me achava solitária por ele não estar sempre comigo, mas tenho que dar graças a Deus que é para trabalhar. Ele não é de lamentar nem de incentivar tanta melancolia, acho que me ajudou bastante. Sempre dizendo verdades e tentando me animar, mas não era o suficiente no momento. No fundo queria que alguém se lamentasse junto deixando vir à tona tantos sentimentos tristes... Mas não valeria a pena, eu só iria me sentir mais triste e me entregar mais sentindo pena de mim mesma. Coisa que eu não sou é digna de pena. Tenho família bacana,com seus conflitos mas qual não tem? Filha perfeita, marido maravilhoso, um lar maravilhoso e tranquilo, saúde perfeita...Oque eu queria mais? Do que eu me lamentava? De uma faculdade que daqui a pouco retornarei, sem pressa, não sou velha; de ser dona de casa?? Me orgulho de fazer tanta coisa e ainda cuidar de mim, do marido e de uma filhota. Não serei só dona de casa pra sempre. Tenho que primeiro ser dona de mim, ir pro controle dos meus sentimentos e resolver que mágoas e tristezas são coisas qeu só ajudam a ir pro buraco e nada mais. Então, SBP nelas e vamos exterminar!!!! rsrsrsrsrsrs

E foi há alguns dias que resolvi voltar a ser eu. Posso dizer que fui quase ao fundo do poço, sozinha. Dava de mamar pra Clara pensando que a casa precisava ser limpa, roupas lavadas e comida a ser feita...e chorava. Hoje não penso mais nessas outras coisas. Deu pra fazer? Deu. Se não, deixe pra quando der. E pensando assim, não é que dá pra fazer tudo?rsrsrsrs
Coloquei cores no céu e desenhei um baita guarda-chuva e parei de me molhar. Saí do frio escuro e voltei pro sol amarelo, claro, iluminado, alegre, com tanta claridade... Clara.

Posso dizer que estou a um passo da minha própria cura, é, a um passo, pois ainda está recente e não quero me achar forte o suficiente para achar que está tudo perfeito e cair de novo. Quero imaginar que sou capaz o suficiente para tentar me reerguer completamente.
É preciso respeitar o momento de cada um, dar importância aos sentimentos pois eles existem e do mesmo jeito que fazem milagres, fazem desastres.

E essa foi minha história...rsrsrsrsrs

Beijoss!!!!!!

"Plante Seu Jardim e Decore Sua Alma, Ao Invés de Esperar Que Alguém Lhe Traga Flores" - "O Menestrel", W. Sheakspeare

11 comentários:

Dany morais disse...

hoo flor! logo vc que de uns dias pra ca sempre me animou...estava ai, precisando ser animada e eu nem ninguem percebeu????
ahh que pecado! me perdoa!
vc é tao especial! tao linda!
tem uma filha tao linda!
tem a vida, o mundo, a juventude pela frente...
levante a cabeça, se olhe no espelho e veja a mulher maravilhosa que vc se tornou, que vc é!
se sua mae te olhar te analisar, vai ver a filha magnifica que ela fez!
sinta orgulho de vc!
quer motivos para sentir orgulho?
- vc é mae, vc é esposa, vc é amada, vc é mulher, vc é linda, vc é um ser adoravel, vc é amiga, vc é jovem, vc é inteligente, vc tem saude, vc tem uma casa que vc sozinha comanda, vc é forte...
nossa, tem varios outros que se eu for escrever nao vai caber aqui kkk
e olha que nem te conheço pessoalmente hem?
as vezes estamos mal, nos sentindo um lixo, mais tudo passa... Deus é grande!Deus é maravilhoso!
hoo... levanta, sacode a poeira e da a volta por cima!
Deus esta contigo!

Dora disse...

Afe me emocionei com seu depoimento, e por vários trechos imaginei que o mesmo pode acontecer comigo. Outro dia fiquei sabendo que essa depressão é mais comum do que possamos imaginar, mas que felizmente a maioria das mulheres superam, e é o que acontecerá com vc. Acho que o mais importante vc já conseguiu enxergar que a força para sair dessa está dentro de vc. Sua filhinha é linda do resto minha querida, tudo é passageiro! Fica com Deus!

Marielen mamãe da Maya disse...

Ai, tbm me emocionei com esse desabafo e me vi bem ali, naquelas linhas. A diferança e que tenho minha família bem pertinho e realmente, isso ajuda muito. Só Deus sabe como é difícil toda a mudança que um bebê faz com nossas vidas. Mudanças boas, lindas mas também algumas bem difíceis.
Ninguém nos avisa como é difícil e cansativo. No início eu achava que iria surtar a qualquer momento, e para ajudar minha pequena teve cólicas terríveis até o segundo mês. Chorava o dia todo, não mamava bem, ganhava pouco peso, teve infecção urinária e refluxo. Só Deus sabe meu desespero na época. Mas agora ela está ótima! Eu estou ótima! E espero, do fundo do coração, que você também fique!
Estarei orando por você!

Dri disse...

Oi querida, realmente esses blogs tem nos dado tanto apoio, né...
Como as amigas deixaram seus depoimentos, também me vi entre suas palavras... são tantas mudanças com a chegado dos nossos bebezinhos que às vezes pensamos que não iremos dar conta...eu estou um caco também.. voltei a trabalhar e a estudar, nossa!! Quase não tenho tido tempo pra mim mesma, o quartel está muito estressante, chefe novo e babaca..um antanossáuro heheh, a facu tá sendo um desafio e tanto.
Ainda estou amamanetando o caio, só que meu seio rachou novamente, então tirar leite com a bombinha, aiaiaiia tá sendo terrível...mas só de ver a carinha e o sorriso dele depois de mamar já me deixa feliz novamente.
Então minha amiga, só nos resta entregar nossos problemas à Deus e acreditar que a alegria logo vem pela manhã e que o sol brilhará mais forte e mais intenso novamente...
Um hiper,mega abraço e conte comigo...estarie sempre por aqui.
beijinhos e ótimo fim de semana.

Márcia Gomes disse...

que texto emocionante JU. Apesar de ser um tema triste e melancolico, é ao mesmo tempo um texto de vida!!
Tambem tive meus baixos quando me vi sozinha sem minha mae, minha irmã e de volta so com meu marido á Portugal. Mas sabe que tudo vai se ajeitanndo, voltantando ao lugar e acabamos conseguindo conciliar tudo e todos da melhor maneira possivel.
Não sei se cheguei a ter depressão pos parto, mas no 1º dia que cheguei a casa depois que sai da maternidade, e fui sozinha com o Tiago para outro quarto dar de mamar, olhei para ele e não o conheci como o filho que tinha tido no hospital. Parecia que não era ele e chorei, chorei sozinha com ele mamando no meu peito. Doeu muito este sentimento. Rezei, rezei muito. Pedi que Deus tirasse esses pensamentos porque não eram meus, e graças a Deus passado algumas horinhas já nem me lembrava do facto ocorrido.
é isso amiga, vc não esteve sozinha, apesar de estarmos todas as mamaes cada um na sua casinha, estavamos todas passando pelo mesmo.
grande beijinho

Márcia Gomes disse...

que texto emocionante JU. Apesar de ser um tema triste e melancolico, é ao mesmo tempo um texto de vida!!
Tambem tive meus baixos quando me vi sozinha sem minha mae, minha irmã e de volta so com meu marido á Portugal. Mas sabe que tudo vai se ajeitanndo, voltantando ao lugar e acabamos conseguindo conciliar tudo e todos da melhor maneira possivel.
Não sei se cheguei a ter depressão pos parto, mas no 1º dia que cheguei a casa depois que sai da maternidade, e fui sozinha com o Tiago para outro quarto dar de mamar, olhei para ele e não o conheci como o filho que tinha tido no hospital. Parecia que não era ele e chorei, chorei sozinha com ele mamando no meu peito. Doeu muito este sentimento. Rezei, rezei muito. Pedi que Deus tirasse esses pensamentos porque não eram meus, e graças a Deus passado algumas horinhas já nem me lembrava do facto ocorrido.
é isso amiga, vc não esteve sozinha, apesar de estarmos todas as mamaes cada um na sua casinha, estavamos todas passando pelo mesmo.
grande beijinho

Anônimo disse...

OI DANY!!!!

MUITA PAZ NO SEU CORAÇÃO MEU AMOR.
EU SOU A MAMY DE JULIANA, E VIM DEIXAR UM RECADINHO AQUI PRA AGRADECER A VC E A TODAS AQUI DO BLOG O QUANTO VCS SÃO IMPORTANTES PRA MINHA FILHA AMADA. E DIZER TBM QUE ME ORGULHO E MUITO DA FILHA LINDA DE CORAÇÃO QUE DEUS ME DEU. JUJU É UMA JOIA RARA, SEMPRE JUSTA, AMIGA, COMPANHEIRA E ACIMA DE TUDO UMA FILHA MARAVILHOSA. E DIZER POR AQUI A VCS QUE CLARINHA, MINHA NETINHA LINDA, GANHOU DE DEUS UMA MÃE ABENÇOADA.
OBRIGADA MINHA QUERIDA DANY PELO CARINHO COM MINHA FILHA AMADA.
BEIJOS NO SEU CORAÇÃO

PATRICIA disse...

OI DANY!!!!

MUITA PAZ NO SEU CORAÇÃO MEU AMOR.
EU SOU A MAMY DE JULIANA, E VIM DEIXAR UM RECADINHO AQUI PRA AGRADECER A VC E A TODAS AQUI DO BLOG O QUANTO VCS SÃO IMPORTANTES PRA MINHA FILHA AMADA. E DIZER TBM QUE ME ORGULHO E MUITO DA FILHA LINDA DE CORAÇÃO QUE DEUS ME DEU. JUJU É UMA JOIA RARA, SEMPRE JUSTA, AMIGA, COMPANHEIRA E ACIMA DE TUDO UMA FILHA MARAVILHOSA. E DIZER POR AQUI A VCS QUE CLARINHA, MINHA NETINHA LINDA, GANHOU DE DEUS UMA MÃE ABENÇOADA.
OBRIGADA MINHA QUERIDA DANY PELO CARINHO COM MINHA FILHA AMADA.
BEIJOS NO SEU CORAÇÃO

PATRICIA

Luna disse...

Oi Ju, ter um filho realmente muda tudo e nem sempre estamos preparadas para essas mudanças. Muitas vezes me senti como vc, mas eu abandonei todas as outras tarefas para ficar em cima do Felipe, me sentia culpada se ele chorava, se eu demorava para atendê-lo, se eu o deixava com minha mãe por meia horinha para cuidar de mim. Aos poucos fui conseguindo encontrar um equilíbrio (meio equilibrio, porque a balança sempre pende mais para um ou outro lado)e me sentindo mais leve, ainda acontecem escorregões e os hormônios em ebulição não colaboram nem um pouco conosco. Mas quem disse que ser mãe é fácil? Ser mãe, mulher, esposa, dona de casa e tanto outros papéis que nos cabem então, nem se fala.
Quando se sentir sozinha dê um grito que estarei por aqui.
Bjos

Ana Paula disse...

Oi... não como vc ou como as outras amigas que deixaram recadinho nao sei escrever tanto ou não tenho tanta inspiraçao para isso... mas AMEI de paixão seu blog, virei uma acompanhante....rs...Posso lher dizer que já tive depressão embora ainda não tenha filhos.. mas mais ou menos pelo mesmo motivo que vc....Passa no meu blog... entra no meu msn, podemos trocar ideias e ajudas...
Beijos..adorei vc mesmo sem te conhecer...
que familia linda...!! que Deus continue abençoando vcs...
Ana

Adriana disse...

Oi flor! nunca entrei nesse seu outro blog, mas hoje que o lí logo me identifiquei com "seus dias chuvosos" também houve muitos dias assim por aqui e ás vezes ainda há, mas não tão tempestuosos. Muitas vezes "me escondi" atrás da Giulia...ela tem muita cólica, ela não dormiu bem, ela chorou muito e assim juntando justificativas para algo que não estava bem em mim. Filho não vem com manual de instrução, é tudo muito lindo muito gostoso, mas perdemos grande parte de nós mesmas para nos dedicarmos a eles...mas com o tempo as coisas vão voltando ao normal, vamos nos identificando como pessoas novamente e nosso amor pelos bebês aumentam a cada dia que passa porque nos resgatando resgatamos também o amor pela vida e pelo próximo não é mesmo?
bjs e muitos carinhos pra ti!