sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Pai, Nosso Primeiro Amor

Meu marido amado ... Minha família linda!


Fui criada desde os 3 anos de idade, pela minha vó e pela minha mãe, juntamente com meu irmão 5 anos mais velho. Sempre fui rodeada de tios queridos e muitos primos, tornando meus dias menos vazios pela distância física que existia entre mim e meu pai. Apesar de que nos primeiros anos sempre recebi visitas nas férias dele e passávamos bons tempos jutnos. Mas com o passar dos anos essa distância foi ficando maior e morar muito longe também não ajudava. Então, fomos nos acostumando a ser parentes distantes e visitantes.
A ausência propriamente dita do meu pai, percebi profundamente no auge da infância, quando tinham as festas em escola comemorando dia dos pais, reuniões de pais e etc. Meus tios sempre me envolvendo de carinho e tentando fazer com que eu não pensasse tanto nisso. Eles são demais, os amo muito!
Quando uma outra família surgiu, me senti completamente substituída e uma tristeza tomava conta de mim. As visitas ficaram mais raras, as ligações também passaram a ser apenas comemorativas e as prioridades já não eram mais minhas.
Hoje em dia, pelas entrelinhas da vida, nós estamos perto fisicamente, mas continuamos distantes.

Apesar de ter crescido feliz e ter uma vida hoje tranquila e dizer sempre que pai não faz falta, lá dentro sei que fez uma falta e uma diferença enorme na minha vida. Acho até que para as meninas essa diferença é maior, pois o pai é o primeiro contato e convivência com a figura masculina, oque o torna especial e querido; é o primeiro homem que se apaixona por nós e o primeiro homem que nós amamos! É uma referência importantíssima.

Quero com esse post falar não de meu pai apenas, mas em especial ao meu marido que tenho certeza que será um pai fantástico e incrivelmente marcante na vida da minha filha, da nossa filha. Ele é de uma sinceridade, fidelidade e moral indiscutíveis; é tranquilo mas tem tanto senso de justiça que o torna um pouco impaciente. Amo você meu amigo, companheiro, marido, namorado e o homem mais maravilhoso que poderia encontrar pra ser o pai da minha filha, dos meus filhos (futuramente rsrsrsrs), sempre preocupado em nos dá o melhor, amando-nos do seu jeito caladinho e com o olhar protetor.
Tenho certeza que Clara terá orgulho de tê-lo como pai, mesmo tímido e sem jeito de demonstrar o que sente, mas ela enxergará seus atos.

Pai, mãe... só tem um(a)!

3 comentários:

Márcia Gomes disse...

que lindo Ju.
Adorei este desabafo cheio de ternura!
A Clarinha com certeza tem pais maravilhosos e isso se refletirá na familia que um dia ela construirá.
grande beijoca a voces

**Valquíria** disse...

Lindo Ju!!! Com certeza Clarinha vai ter muito carinho de Pai e orgulho por tê-lo sempre ao seu lado!!!beijocas

Marielen mamãe da Maya Luiza (marielenbarcellos@bol.com.br) disse...

Parabéns pela família linda!Que Papai do Céu abençoe imensamente!
Não tenho blog, mas sempre passo para uma visitinha.
Beijinhos.